É quase um senso comum que no Brasil, para que nossos filhos possam efetivamente aprender inglês, é necessário que estudem em cursos, em escolas de idiomas. As escolas há muito tempo assumiram a condição de serem incapazes de levar seus alunos a um nível satisfatório de competência linguística na língua inglesa.

Um levantamento feito pelo Grupo Santillana junto às principais escolas de idiomas do país mostra que, em média, as famílias gastam por ano com um filho em um curso de inglês entre R$ 2,5 e 4,5 mil, entre matrícula, material didático e mensalidades. O que isso significa?

Significa que sua escola, o seu negócio, está perdendo uma enorme oportunidade de ganhar dinheiro. A média das famílias brasileiras é de ao menos dois filhos. Se cada com dois filhos em idade escolar pagar uma escola de inglês para cada um, esse valor pode ir a pelo menos R$ 5 mil por ano por família.

Fazendo as contas

Imagine que, do total de alunos da escola, cerca de 30% fazem curso de inglês. Se a escola tiver 300 alunos, isso corresponde a mais ou menos 100 alunos estudando em uma escola de idiomas. Se levarmos em consideração o valor mais baixo gasto, ou seja, de R$ 2,5 mil por aluno/ano, esses 100 alunos representariam uma renda de R$ 250 mil reais que foge de você. Você não vê a cor desse dinheiro.

Os pais que colocam seus filhos em escolas de idiomas ainda por cima têm que se organizarem logisticamente para levar seus filhos de uma escola a outra, pagar lanches ou almoços e, além disso, num país com a violência urbana crescente que temos hoje, correm os riscos decorrentes desse deslocamento de um lugar para outro.

Novo cenário

Mas essa história está mudando. Com o advento dos programas de educação bilíngue, surge a oportunidade das escolas atualizarem a sua abordagem de ensino da língua inglesa em seus currículos, levando seus alunos a níveis de proficiência compatíveis com o número de horas de instrução que têm ao longo dos anos escolares. Essa mudança, além de resgatar a autoestima dos docentes da área e até mesmo da própria escola, traz inúmeras vantagens para o negócio escolar em si.

Os programas de educação bilíngue trazem para as escolas a possibilidade de trazerem para si e monetizarem essa oferta. O suporte dado em termos de formação de professores, além de materiais e recursos digitais que em nada perdem para as escolas de inglês garantem um upgrade de qualidade muito visível para as famílias, desde que divulgado adequada e profissionalmente. Os resultados medidos através de certificações internacionais atestam a seriedade desses programas.

Programas bilíngues hoje custam em média de 30% a 50% do valor que as famílias pagam pelos cursos. Além disso, as crianças não precisam se deslocar de um lugar para outro, e o almoço pode ser oferecido na escola, por cantinas que também cobram muito menos que restaurantes convencionais.

Ótimo custo-benefício

Suponhamos que, para implementar um programa bilíngue, sua escola cobre dos pais R$ 2 mil ao ano. Esse valor cobriria os gastos como programa e sobraria ainda muita receita para a escola. Para o pai que tem dois filhos estudando em cursos isso já representará uma economia de no mínimo R$ 1 mil por ano. Se ele pagar o valor mais alto por esses cursos, ou seja, R$ 4,5 mil por ano, a economia aumenta para R$ 5 mil por ano. É um grande negócio.

E sua escola, se tiver hipoteticamente os 100 alunos estudando em cursos, e se você conseguir convertê-los para o programa bilíngue, serão no mínimo mais R$ 200 mil reais em seu caixa por ano. Claro, você terá alguns gastos iniciais, como a sinalização de sua escola com placas bilíngues, a ambientação de algumas salas e o aumento da carga horária do corpo docente. Mesmo assim, faça as contas: você pode ganhar muito dinheiro com isso.

Há, além disso, outros ganhos, mais difíceis de quantificar, mas igualmente importantes. Muitas escolas, ao implementarem programas bilíngues em seu currículo, entregam qualidade no resultado da proficiência de seus alunos e passam a ser mais procuradas pelas famílias, interessadas em colocar seus filhos em uma escola onde “não precisa estudar em cursinho para aprender inglês”.

O prestígio da escola aumenta, assim como os ganhos aumentam e a satisfação dos alunos e as famílias economizam. É um ganha-ganha fantástico que, se feito com responsabilidade e seriedade, pode mudar significativamente o perfil de sua escola.

Portanto, pesquise, estude viabilidades, planeje, mas implemente um programa bilíngue em sua escola. Não deixe de ganhar mais dinheiro com seu negócio.