Bem-me-quer

Mal-me-quer

Bem-me-quer

Bem-estar

Nosso bem-estar é um dos maiores tesouros que podemos deter. Ele engloba o balanço entre as saúdes física, mental e emocional. É o resultado de um ciclo virtuoso que se repete constantemente em nossa individuação, na família e na escola, espaços que se alimentam constantemente gerando resultados positivos ou negativos para nosso desenvolvimento como seres holísticos e inteiros em nossas potencialidades. O bem-estar vem do entendimento de como lidar com nossas emoções, ter boas relações, vivenciar conquistas, usar nossas forças e habilidades ao participar de atividades saudáveis, dormir e nos alimentarmos bem.

Há muitas coisas que podem colaborar para um bem-estar positivo de nossos filhos e nós podemos ajudar muito nessa caminhada. Ajudar na construção de um senso de bem-estar positivo em nossas crianças passa por atividades simples, que podemos vivenciar em casa.

  • Elogiar, encorajar e dar a atenção com qualidade. Elogie seu filho por comportamentos que são importantes e que comungam com os valores de sua família e da escola que você escolheu para seus filhos; dê atenção ao seu filho: quando estiver com ele, esteja presente no momento com ele. A partir dessa presença, elogiar e encorajar serão ações que terão valor real, pois estarão conectadas a atividades vivenciadas juntos.
  • Autoestima positiva. Fique atento a como seu filho fala de si mesmo. Estamos sempre conversando com nós mesmos e nosso interior. Muitas vezes falamos o que nossa mente faz acreditar: que não somos capazes, que alguém não gosta de nós, que não podemos aprender. Estarmos atentos a essa voz interior é um exercício muito importante para nós, como pessoas/pais, e para nossos filhos. Encoraje seu filho a ser gentil com ele mesmo e com as suas frustrações. Aceitar nossos limites e trabalhá-los é a melhor forma de superação e crescimento. Muitas vezes, não seremos capazes de fazer algo que queremos mesmo. Tudo bem. Podemos nos reinventar e arrumar maneiras de desenvolvimento com criatividade e resiliência. O bem-estar também passa pela resiliência e a capacidade de aceitar limites, próprios e dos outros. Saber lidar com frustrações e se aceitar em todas as suas capacidades. Na verdade, não adianta querer proteger nossos filhos de tudo, porque a vida dita regras e temos que saber lidar com o que ela nos oferece: ou buscando superar ou aceitando e seguindo… A aceitação, o entendimento diminuem a frustração conosco mesmos porque passamos a entender que podemos mais e outras coisas também.
  • Manter relações positivas. Uma relação positiva com nossos filhos é essencial para que seu bem-estar tenha força e base sólida. Compartilhem memórias de família e em família: uma refeição juntos por dia, por exemplo. Estabelecer rituais ou rotinas em família, pelo menos uma vez semana.  Além do ambiente familiar, as conexões sociais são essenciais, mas deixe que seu filho as crie e vivencie. Você tem suas conexões, ele criará as dele. Essas relações vão trazer sentimentos positivos e negativos. Fique atento, mas não viva as relações que são deles por eles. Eles precisam aprender a lidar com suas emoções nas relações que estabelecerem.
  • Pratique gentileza e gratidão. Gratidão é ter tempo para se dedicar ao reconhecimento de algo que foi bom, agradecer às pessoas e coisas que nos trazem bons sentimentos. Vocês podem ajudar seus filhos a reconhecerem e praticarem gratidão quando eles falarem sobre algo ou alguém que os faz sentirem felizes, inspirados, nutridos em bons sentimentos. Ajudem-nos a perceber o prazer nas coisas simples da vida: uma flor que nasce no jardim, a risada do vovô…
  • Promover a busca por ajuda. Fazer nossos filhos entenderem que pedir ajuda é algo natural e que não os diminui, pois é algo que trará força. Sempre encorajem que seus filhos peçam ajuda, através de atos simples como perguntar se estão bem, demonstrando que está tudo bem em se sentirem tristes ou frustrados, escutando sem julgamento quando eles pedirem por ajuda.
  • Determine regras e limites. Regras claras e limites trazem segurança quando são cumpridas de acordo com os combinados com nossos filhos. Envolver nossos filhos nas tomadas de decisões sobre regras e limites, justificando essas decisões e fazendo com que esses acordos se cumpram são atitudes de muita importância para a solidificação da base de segurança para nossos filhos. É como o bate-estaca nas grandes construções.
  • Gerenciamento de estresse. Saber lidar com o estresse é algo muito importante para nós, pais, e, consequentemente, para nossos filhos. Esse gerenciamento nos ajuda a lidar com os desafios que a vida traz e sempre trará.

O bem-estar não vem com um estalar de dedos. Ele exige dedicação, prática e aprendizado constantes. Exige de nós, pais, e de nossos filhos. A busca pelo bem-estar é uma escolha que cobra comprometimento e dedicação. É possível? Sim!!! Lembrem-se: ensinamos com o exemplo. Eu bem-me-quero, tu bem-te-queres, nós bem-nos-queremos. Um ciclo de bem-estar.