Ensino bilíngue

Conheça as melhores maneiras de aproveitar as vantagens do ensino bilíngue em sua escola e aumentar o valor dela.

Ensino bilíngue

Sua mente tá cheia? Mindful parenting.

Muito se tem falado em Mindfulness, mas o que é que significa isso? Mindfulness é comumente traduzido por atenção plena. Não sei se esse é o termo apropriado. A palavra plena pode trazer em si uma tensão que remete à totalidade, perfeição. Sim, mindfulness significa estar presente no presente. No entanto, não há a exigência da perfeição. Praticar mindful parenting, ou paternagem com mindfulness, não está ligado à perfeição. Está ligado sim, à capacidade de conseguir regular e lidar com os estresses da vida, lidar com as próprias emoções para ajudar nossos filhos a lidarem com as situações desafiadoras que terão que enfrentar inevitavelmente, durante toda a vida.

Ver mais
Ensino bilíngue

O homem, eterno aprendente.

O homem precisa aprender desde o momento em que nasce. Dentre os seres vivos do planeta, ele é quem nasce menos preparado e, para sobreviver, precisa desenvolver habilidades e competências. A aprendizagem é sua eterna companheira. Competências são capacidades desenvolvidas através de estudo e vivências. Habilidades podem ser entendidas como aptidões e capacidades que desenvolvemos para realizar determinadas tarefas. Tanto as competências como as habilidades são aprendidas.

Ver mais
Ensino bilíngue

Querido cérebro, estou aprendendo outra língua, e agora?

Aprender é vida. Como tal, está diretamente ligado ao cérebro e a tudo o que ele pode proporcionar a nossa vida. Muito se tem pesquisado sobre a aprendizagem de línguas e o cérebro. Por exemplo, como pode ser desafiador mudar de português para inglês, no caso de crianças bilíngues. Como o cérebro se comporta diante dessa mudança e que benefícios essa aprendizagem pode trazer para o futuro do aprendente, seja ele criança ou adulto.

Ver mais
Ensino bilíngue

“Airplane” ou “Aeroplane”?

Muitas vezes você pode ter ouvido diversas opiniões sobre as diferentes “modalidades” da língua inglesa, não é? Algo do tipo: “você fala inglês britânico ou inglês americano? Que inglês você prefere: o americano ou o britânico? Você já ouviu o inglês australiano? É muito diferente! Nem parece inglês!” Esses são alguns exemplos de falas típicas sobre as diferentes modalidades de sotaque em inglês. Qual escolher ou preferir para que seu filho aprenda, não é mesmo? Eis a resposta: qualquer uma! Sim! O mais importante é comunicar!

Ver mais