O ensino de inglês na escola não precisa e nem deve ficar preso a um modelo ultrapassado que não é eficaz. Com o tempo, você poderá perder alunos e a preferência dos pais. Você já ouviu falar em CLIL?

O objetivo principal de uma aula de inglês é ensinar o idioma ao aluno para que consiga usá-lo com naturalidade em sua vida. Há cada vez mais exigência de uma formação desse tipo para se destacar em qualquer mercado de trabalho, então os pais saberão valorizar esse aspecto do ensino.

No artigo a seguir, você entenderá melhor as principais diferenças entre a aula tradicional de inglês e a metodologia CLIL.

Aula tradicional de inglês

O ensino convencional de inglês que se vê no Brasil adota um modelo clássico equivalente ao das outras disciplinas escolares. Ou seja, é estruturado a partir de aulas periódicas com o intuito de avançar nas lições de um material didático, enquanto se aprende a respeito de vocabulário, gramática e ortografia.

Em casos mais raros, há uma prática mais completa em relação ao ensino do idioma, como o treino de pronúncia e interpretação de textos. Ao final de cada período (como bimestre ou semestre), cada aluno tem uma nota baseada no desempenho em avaliações.

Aulas de inglês costumam ser conduzidas tanto por escolas como cursos particulares. Na maioria dos casos, seguem o mesmo modelo fundamentado em um material e divisão por complexidade e aprofundamento do conteúdo.

Ensino integrado de inglês (CLIL)

A sigla CLIL significa “content and language integrated learning”, ou ensino de idiomas integrado. Trata-se de uma maneira inovadora de ensinar uma língua que não é baseado no formato tradicional de aulas, material didático e avaliações.

Em vez disso, o aluno é convidado a realizar outras atividades enquanto tem o aprendizado da língua como pano de fundo. É uma forma de tornar mais natural o uso da língua ao mesmo tempo em que oferece ainda mais capacidades ao estudante, agregando valor ao período que passa na escola.

Ou seja, são desenvolvidas aulas para potencializar demais competências nos alunos, mas utilizando o idioma estrangeiro como método de comunicação. Por exemplo, é possível ter aulas de culinária, artes plásticas, música e até disciplinas tradicionais como História e Geografia.

Aula tradicional ou CLIL? Qual é melhor?

Tendo em vista os benefícios trazidos pelo CLIL, fica nítido como se trata de uma alternativa bastante atraente para o desenvolvimento do aluno e para a escola agregar valor à própria proposta.

Há cada vez mais concorrência no mercado, tanto de outras escolas oferecendo soluções integradas mais atrativas como também de cursos de idiomas. As instituições de ensino precisam sempre procurar maneiras inovadoras de atrair mais alunos e reafirmar junto aos pais o valor dela.

Ao final, o que vale não é a nota conquistada em avaliações, mas a capacidade real do aluno em utilizar o idioma em situações profissionais. Isso que será decisivo para o sucesso profissional dele e certamente é o que os pais desejam e valorizam.

Priorize sempre a melhor metodologia de ensino para satisfazer as exigências que o mercado fará sobre os seus alunos. Leve em consideração as características do CLIL e veja como ele permite ensinar o idioma de uma forma superior em sua escola.